Blog
Home > Como complementar a renda após adquirir direito à aposentadoria?

Como complementar a renda após adquirir direito à aposentadoria?

como complementar a renda

Como complementar a renda após adquirir direito à aposentadoria?

Com a expectativa de vida do brasileiro cada vez maior, a preocupação com o futuro aumenta na mesma proporção.

Aposentar-se significa receber aquela merecida recompensa por tantos anos de dedicação ao mercado de trabalho, ao progresso do País e ao bem-estar da família.

Quem dera tudo nessa fase fosse flores, não é mesmo? Mas o que ocorre, é que muitas vezes o benefício não é suficiente para manter o padrão de vida. Sendo assim, como complementar a renda?

Ainda é pequeno o número de jovens que estão garantindo um planejamento financeiro, para além do pagamento do INSS. É questão cultural que, em um mundo ideal, deveria sofrer uma reviravolta.

Segundo pesquisa realizada em 2019 pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em parceria com o Banco Central, seis em cada dez cidadãos ignoram a preparação extra para o momento da aposentadoria.

Os motivos são diversos. Veja alguns mais populares, segundo o mesmo estudo:

  • “Não sobra dinheiro no meu orçamento”.
  • “Estou desempregado”.
  • “Não acho que valha a pena guardar o pouco dinheiro que sobra”.

Você já adquiriu o direito a aposentar-se? É jovem, mas dar atenção à questão já está em seu radar? Bem, a CMP Advocacia preparou um conteúdo com ótimas dicas sobre como complementar a renda, tão logo inicie esse ciclo em sua vida.

 

Ideias para complementar a renda após aposentar-se

Os cidadãos, por vezes, ficam receosos em manter um trabalho que acrescente no orçamento familiar, por acharem que podem perder o direito a receber o benefício. Alguns até questionam: “aposentado pode abrir MEI”?

Investimentos vantajosos são outras dúvidas que surgem no meio deste caminho. Muitas pessoas acreditam que eles possam ser a resposta perfeita sobre como complementar a renda.

Em geral, todos esses questionamentos surgem por uma única razão: o que fazer para não depender única e exclusivamente da Previdência Social?

A apreensão é válida, já que o custo de vida – incluindo plano de saúde e remédios (característicos da faixa etária) – pode ser bastante oneroso. Sendo assim, vamos analisar juntos estas respostas?

 

A reconhecida Previdência Privada

Com uma projeção de ganho mensal ou resgate total, é possível traçar uma meta de investimento nos planos de Previdência Privada.

A atenção maior nessa opção fica por conta das taxas de administração e carregamento dos planos, que podem proporcionar impacto expressivo lá no final.

Para quem a Previdência Privada é recomendada?

Especialmente para aqueles que têm grandes dificuldades de poupar, pois há cobrança mensal dos valores acordados.

Como funciona a tributação?

Com tabela regressiva, a alíquota do Imposto de Renda começa em 35%, podendo chegar a 10%, dependendo do tempo do fundo.

Há ainda como escolher entre ser tributado apenas no momento do resgate dos valores ou ter a incidência apenas sobre o rendimento.

Falando nisso, é possível fazer a portabilidade da previdência, mas os especialistas do mercado apontam que o ideal é acompanhar o desempenho do fundo por, pelo menos, cinco anos.

Caderneta de poupança. Alguém ainda acredita nela?

É verdade esse bilhete! A caderneta de poupança ainda é a menina dos olhos daqueles que guardam dinheiro. Seu principal atrativo é a liquidez, que torna fácil o  resgate emergencial.

Para quem a Caderneta de Poupança é recomendada?

Para aqueles que buscam a modalidade mais simples possível de investimento.

Como funciona a tributação.

Não possui incidência em Imposto de Renda e nem cobrança de taxa administrativa.

Seu ônus é justamente não ser a modalidade mais vantajosa em termos de ampliar o capital. Hoje, a poupança rende 70% da Taxa Selic, que atualmente está projetada para 4,5% no fim de 2020.

Tesouro direto é uma boa alternativa para complementar a renda?

Um investimento com baixo risco de crédito. Assim podemos definir o Tesouro Direto. Esse é um programa do Governo Federal, para aplicação em títulos públicos com três opções: rentabilidade vinculada à inflação oficial (IPCA); à Selic (taxa básica de juros); ou a uma taxa pré-fixada, com juros definidos no momento da aplicação.

Para quem o Tesouro Direto é recomendado?

Uma opção interessante para quem tem uma meta de investimento e pode esperar pelo vencimento do título (que deve ser escolhido de acordo com seu perfil), já que resgatá-lo antes pode acarretar um retorno indesejado.

Como funciona a tributação?

A alíquota do Imposto de Renda varia entre 22,5% e 15%, dependendo do tempo de aplicação dos recursos.

A novidade dos Multimercados

Mescla aplicações de renda fixa e variável, garantindo a segurança e trazendo rendimentos maiores, sendo uma boa alternativa para complementar a renda.

Os brasileiros ainda não enxergaram o real potencial da alternativa de investimento. Mas estamos chegando lá.

Para quem os Multimercados são recomendados?

Investidores conservadores, que desejam maior rentabilidade.

 

A boa e velha Bolsa de Valores

De todos, é o investimento mais arriscado, em razão de seus diversos altos e baixos. Trabalhar com ações requer conhecimento de mercado, cabeça fria e calma para analisar os momentos apropriados para comprá-las ou vendê-las.

Para quem a Bolsa de Valores é recomendada?

Investidores corajosos, que conseguem mesclar a aposta na Bolsa com outros tipos de aplicações.

 

Aposentado pode abrir MEI e empreender?

Seu lucro como MEI não interfere no direito adquirido de receber sua aposentadoria. Não há nenhum tipo de redução nos valores, com exceção para os casos que recebem o benefício por invalidez. Afinal, em tese, não há incapacidade para o trabalho.

Se por acaso você acha que ainda tem muito a fazer, e que seu trabalho ainda não acabou, que tal abrir um pequeno negócio? Essa pode ser sua grande oportunidade de realizar aquele sonho profissional que, durante tantos anos, você deixou guardado na gaveta.

Conhecendo as regras, você garante o melhor benefício e a revisão certa

Para conhecer as regras da aposentadoria e de que forma você garante o melhor benefício no futuro, consulte os nossos advogados. A CMP Advocacia está presente em sua vida, para atender todas as suas necessidades previdenciárias.

 

Acesse nosso simulador de Regras de Transição e saiba qual regra é mais vantajosa para você!

Compartilhe

Mais notícias

quanto-cobra-um-advogado-previdenciario
pensao-militar
restituição-e-isenção-de-imposto-de-renda
como-planejar-a-aposentadoria
aposentadoria demitido
como calcular a aposentadoria
aposentadoria dos servidores
Ligamos para você
Envie seus dados e em breve entraremos em contato
Chat online
Envie seus dados para iniciar a conversa
-
Consulte nossos advogados